Pelo menos 14 pessoas, incluindo crianças, morreram neste domingo (01/12) num ataque a uma igreja protestante em Hantoukoura, no leste do Burkina Faso. No momento do ataque, os fiéis estavam reunidos para celebrar o culto dominical.

“Mais de uma dúzia de pessoas que participavam do culto de domingo foram mortas durante um ataque à igreja protestante em Hantoukoura”, disse uma fonte da segurança na localidade, que fica no departamento de Foutouri, na fronteira com o Níger.

Este não é o primeiro ataque a templos cristãos no Burkina Faso, um país pobre da África Ocidental, que tem registado vários atentados jihadistas contra cristãos e igrejas desde 2015.

Este ataque, “relatado por volta das 12:00 horas” (hora local), foi cometido por “cerca de dez indivíduos fortemente armados”, que “executaram friamente os fiéis, incluindo o pastor da igreja e as crianças”, descreveu a mesma fonte.

De acordo com outra fonte, o número total de mortos chega a “14 pessoas, todas do sexo masculino”.

“Condeno o ataque bárbaro contra a Igreja Protestante de Hantoukoura, no departamento de Foutouri, que deixou 14 mortos e vários feridos. Ofereço minhas mais profundas condolências às famílias enlutadas”, escreveu o presidente Roch Kabore, no Twitter.

Roch Marc Kaboré, presidente da República do Burkina Faso. (Foto: Reprodução/PREFASO)

O agrupamento militar de Foutouri já avançou com uma “operação de busca” para encontrar “vestígios dos assaltantes”, que “fugiram em motocicletas”, completou a fonte.

A violência no domingo ocorreu em uma área conhecida por banditismo que foi atacada no ano passado por suspeitos de grupos jihadistas com a Al Qaeda e o Estado Islâmico.

Seu momento, durante horas de culto, refletiu outros ataques a cristãos este ano – um novo fenômeno em um país da África Ocidental que há muito se orgulha de sua tolerância religiosa.

Os ataques, atribuídos a grupos jihadistas contra igrejas cristãs aumentaram recentemente no Burkina Faso.

Mapa ilustrativo de Burkina Faso. (Foto: Reprodução/Premium Times NG)

Em 29 de abril, seis pessoas foram mortas num ataque à igreja protestante de Silgadji, também a norte.

Em 6 de novembro, pistoleiros abriram fogo contra um comboio de ônibus que transportava trabalhadores de minas na região Est, matando 39.

Cerca de 30% da população de Burkina Faso segue o cristianismo. Os católicos representam 23,3%, enquanto os protestantes são 6,5%, segundo dados do CIA World Factbook. A maioria da população local pratica o islã.

Fonte: Guia-me