A Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) aprovou nesta quarta-feira (23), por 69 votos a zero, o prosseguimento do processo de impeachment do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC). 

Para que o procedimento tivesse continuidade, eram necessários 47 votos de 70 —ou seja, dois terços da Casa. 

Era previsto que Witzel fosse até a Assembleia a tarde para fazer sua defesa presenciamente. No entanto, ele desistiu quando parte de sua equipe já estava no Plenário da Casa. Ele fez sua sustentação oral por meio de videoconferência da residência oficial, o Palácio Laranjeiras, na zona sul do Rio. 

Witzel já está afastado do governo desde 28 de agosto, quando foi denunciado por esquemas de corrupção e desvio de recursos destinados à Saúde do estado. 

A partir de agora, começa uma nova fase do processo: a do Tribunal Misto, formado por cinco deputados estaduais, que serão escolhidos pela Alerj; cinco desembargadores do Tribunal de Justiça do Rio, escolhidos por sorteio; e o presidente do TJ, Cláudio de Mello Tavares, que presidirá o colegiado e tem direito a voto de minerva. 

Essa comissão terá 120 dias para decidir se recebem ou não a denúncia contra o governador. Nesta nova fase, serão realizadas as oitivas do processo, com acusados e testemunhas.

Fonte: CNN Brasil