Francisco Sagasti será o novo presidente interino do Peru e o terceiro a comandar o país em pouco mais de uma semana. A sessão plenária extraordinária do Congresso aprovou na segunda-feira (16/11) a sua nova mesa diretora, cujo presidente, Francisco Sagasti, será o novo presidente provisório. Foi a única composição apresentada, e era necessário que tivesse 60 votos a favor para avançar.

Sagasti será presidente até julho de 2021, quando está prevista a posse do vencedor das eleições gerais previstas para abril. A votação no Congresso ocorreu em meio à grave crise política e social do país, após o impeachment do presidente Martín Vizcarra na semana passada. Em seguida, assumiu o presidente do Congresso, Manuel Merino.

A saída de Vizcarra e a entrada de Merino provocaram fortes protestos de cidadãos, que foram reprimidos com violência pela polícia, deixando um saldo de pelo menos dois mortos e inúmeros feridos. Após esses acontecimentos, Merino renunciou no domingo, só seis dias depois de assumir.

O Congresso peruano se reuniu para tentar eleger um novo presidente interino, mas sua primeira sessão com esse objetivo não teve êxito.

Quem é Francisco Sagasti?

Mulher diante de policiais em protesto no Peru
O impeachment do presidente Martín gerou protestos massivos, que foram duramente reprimidos

Sagasti, de 76 anos, é um engenheiro industrial de Lima e foi eleito pelo Congresso para presidir sua diretoria.

Consequentemente, ele assumirá o processo de sucessão presidencial previsto na Constituição, que estabelece que o titular desse poder do Estado assume a Presidência quando não houver presidente .

O político, de tendência centro-liberal, foi assessor técnico do Banco Mundial e será o quarto presidente do país em menos de três anos, após a renúncia de Merino, o afastamento de Vizcarra e a renúncia de Pedro Pablo Kuczynski, que deixou o poder em 2018 em meio a denúncias de corrupção.

Sagasti faz parte do único partido que votou contra a destituição do presidente Vizcarra e assumir seu cargo agora “não será fácil”, alerta a correspondente da BBC na América do Sul, Katy Watson.

“Muitos manifestantes acusaram o Congresso de montar um golpe parlamentar para remover Vizcarra”, disse Watson, “e [Sagasti] terá que encontrar uma maneira de trazer paz ao país após os protestos, que deixaram dois mortos e muitos outros feridos.”

Fonte: BBC Brasil