Igrejas estão oferecendo suas instalações para abrigar pessoas vulneráveis e atender pacientes infectados pelo novo coronavírus, que até esta segunda-feira (23) tem 1.891 casos confirmados e 34 mortes no Brasil.

Com capacidade de 2300 pessoas, a Igreja Betesda, na Zona Sul de São Paulo, disponibilizou seu espaço para ser usado pelo governo como enfermaria, posto avançado de saúde, centro de distribuição de alimentos ou atendimento a grupos vulneráveis, como pessoas em situação de rua ou com dependência de drogas. 

“Cancelamos os cultos presenciais desde o início da semana passada, tudo o que estamos fazendo é online. A igreja estava vazia e ociosa e o espaço é grande. Ela perdeu o sentido litúrgico temporariamente, mas não o sentido social”, disse o pastor Ricardo Gondim, presidente da Igreja Betesda, em entrevista ao UOL.

De acordo com a publicação, além do edifício principal, outro prédio de dois andares, que era usado para educação religiosa de crianças e adolescentes, também foi oferecido ao poder público.

“Estamos prevendo que a calamidade de saúde trará uma calamidade social sem precedentes”, afirmou Gondim. “Não estamos dispostos a sacrificar os ensinamentos de Deus e a saúde dos próprios fiéis em nome de preservar a igreja da insolvência financeira”.

Rio de Janeiro

A Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), liderada pelo pastor Silas Malafaia, anunciou no sábado (21) que também irá oferecer seu espaço como um hospital ao governo de São Paulo e Rio de Janeiro, onde estão localizados seus templos.

“Nosso pastor Silas Malafaia ofereceu ao governo de São Paulo e Rio de Janeiro, bem como às forças armadas, espaço em nossa igreja em ambos os estados, que têm grandes áreas abertas cimentadas, com salas de apoio, para fazerem um hospital de campanha, se assim for necessário”, disse a denominação em comunicado.

O anúncio vem após a recusa do pastor Silas Malafaia em interromper os cultos, depois da orientação do governador Wilson Witzel de evitar aglomerações. Na última quinta (19), o juiz Marcello de Sá Baptista negou um pedido do Ministério Público do Rio de Janeiro que pedia o fechamento das igrejas. 

Diante da polêmica, Malafaia afirmou que vai fechar os templos, mas ampliou os horários da porta aberta na igreja para atendimento pastoral.

“Na ADVEC, igreja não fecha porta, pelo contrário, o tempo da igreja aberta será ampliado. A única coisa suspensa serão os cultos presenciais. A igreja é um hospital espiritual e emocional”, disse Malafaia.

Santa Catarina

Em Santa Catarina, Igreja Luz da Vida anunciou uma parceria com a prefeitura de Balneário Camboriú para a montagem de um espaço para abrigar moradores de rua durante a pandemia. Poderão ser acolhidos 50 homens e 20 mulheres.

O atendimento às pessoas em situação de rua ocorrerá através da equipe da Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social, Defesa Civil, profissionais da saúde e voluntários da igreja. 

Para seguir os protocolos solicitados pelo poder público, a igreja deixará os colchões afastados uns dos outros, realizará a higienização adequada e permitirá a entrada somente de duas pessoas por vez.

A igreja pede colaboração com alimentos, roupas, roupas de cama (travesseiros, lençóis e cobertas) e produtos de higiene.

Neste período, as equipes da Abordagem Social reforçarão as rondas em busca de pessoas em condições de rua. O atendimento ocorre pelo telefone 156 e é 24h.

Fonte: Guiame