A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) foi eleita a nova líder do PSL. A parlamentar substitui o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), que perdeu a liderança em decorrência de suspensão aprovada pela Executiva do partido contra ele e mais 13 deputados.

Hasselmann é jornalista e foi a mulher mais bem votada da história da Câmara com mais de 1 milhão de votos. Ela já ocupou o cargo de líder do governo no Congresso e rompeu com o governo.

Na semana passada, Joice Hasselmann depôs na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Fake News e afirmou que, no Planalto,  existe um “gabinete do ódio” para atacar inimigos e dissidentes do governo.

Suspensão

O diretório nacional do PSL decidiu suspender os 14 parlamentares alinhados com o presidente Jair Bolsonaro depois de disputa com o presidente do partido, Luciano Bivar.

Eduardo Bolsonaro, Bibo Nunes, Alê Silva, e Daniel Silveira receberam as maiores punições: 12 meses de suspensão. As demais punições variam entre 3 e 10 meses de suspensão.

Consequências

Com as suspensões, a bancada do PSL passa de 53 deputados para 39 deputados. Como vai deixar de representar 1/10 da Casa, o PSL também não poderá apresentar alguns requerimentos e emendas aglutinativas nas votações em Plenário.

O partido também terá reduzido de 3 para 2 o número de destaques – tentativas de mudar o texto – que poderá apresentar em Plenário. O tempo de líder também será reduzido de 7 minutos para 6 minutos.

A bancada volta a aumentar assim que acabarem as punições impostas pelo partido.

Fonte: Agência Câmara