A Secretaria Municipal de Saúde de São Luís (Semus) notificou em dois meses, cerca de 29 casos suspeitos de gripe provocados pelo vírus Influenza. Em 2019, foram 94 casos confirmados de gripe do tipo menos grave.

O tipo mais grave da doença, que pode levar a morte, é causado pelo H1N1 e desde o ano passado, não há registro de casos em São Luís. Entre os principais sintomas, estão febre alta e súbita, tosse, dor de garganta, dor no corpo, nas articulações, dor de cabeça, falta de ar e o cansaço excessivo.

“É um vírus da gripe, que a gente sabe isso há décadas, e é um vírus que pode complicar, que pode matar. Então por exemplo, uma pessoa que é idosa e tem uma gripe, ela tem um problema cardíaco, ela descompensa o problema e acaba evoluindo para a morte. Uma criança menor de cinco anos, especialmente as menores de dois anos, uma gestante. Então o vírus H1N1 ele mata inclusive pessoas saudáveis”, disse Remédios Branco, infectologista.

Com a chegada do período chuvoso, que se intensifica na capital, aumenta a incidência de crianças em hospitais da região com sintomas relacionados a doença. Por conta da incidência, a Semus afirma que a campanha de vacinação será antecipada para o mês de março como forma de prevenir que casos de H1N1 sejam registrados na capital maranhense.

“Pelo Ministério da Saúde inicia-se sempre todo o mês de abril ela e agora ela será antecipada para o mês de março. Não temos nada oficial, mas o que já sabemos é que haverá uma antecipação até por conta de toda essa epidemia que o mundo vive, todas essas doenças de transmissibilidade como o vírus, como a gripe”, explica Karoene Santana, coordenadora da Vigilância Epidemiológica da Semus.

Além de cuidados com a higiene, a infectologista Remédios Branco alerta que a melhor maneira para se proteger contra todos os tipos de gripe é a vacinação.

“São vários tipos de vírus Influenza A dentre eles, a gente pode destacar o H1N1, que é o vírus que causou a pandemia de 2009 e a partir de 2010, houve vacinação. E a partir de 2011 esse vírus está na vacina da gripe, então é muito importante que as pessoas que são grupo alvo se vacinem”, concluiu.

Fonte: G1 MA